sexta-feira, 27 de novembro de 2009

A nova cara do Pelô!



Centro histórico de Salvador passa por processo de revitalização.


O Plano de Revitalização do Centro Antigo de Salvador é resultado de um pacto entre as três esferas do governo: união, estado e município, que propõem transformar a realidade social, econômica, ambiental, turística e cultural, com foco na sustentabilidade local. Essa demanda decorre da transferência do centro administrativo de Salvador para a Paralela, culminando com alto índice de esvaziamento local.

Para realização desse projeto foi criado, através de um decreto, em 2007, o Escritório de Referência do Centro Antigo de Salvador (Ercas). Uma unidade da Secretária de Cultura do Governo do Estado responsável pela elaboração do Plano de Revitalização Integrado e Participativo para o Centro Antigo de Salvador. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a área possui extensão de 7 km² e abriga aproximadamente 80 mil habitantes.

Segundo o escritório, no Centro Histórico vem sendo desenvolvido um trabalho de estruturação específica com a participação da população a partir das câmaras temáticas. A primeira foi realizada em julho de 2008, contou com a participação de técnicos do governo, sociedade civil, organizações sociais, iniciativa privada e governo, que apresentaram propostas para melhorar o programa.

O debate reuniu 400 pessoas, que trouxeram contribuições baseadas nas suas vivências. Esse é um ponto ressaltado pela coordenadora do Ercas, Beatriz Lima.
Contudo essa afirmação é coloca em cheque pelo presidente da Associação dos Comerciantes do Pelourinho (Acopelo), Leni Cunha, “nós tínhamos a necessidades de algumas mudanças imediatas, que refletissem diretamente o estado de necessidade da comunidade e dos comerciantes. Eles não priorizaram isso”, esclarece.

Um dos pontos abordados pelo Plano de reabilitação é a importância da educação patrimonial, pois “o público que menos vem aqui é o soteropolitano”, pontua a coordenadora do Ercas. Falta à população baiana conhecer mais a cidade para poder usufruir mais das belezas que Salvador possui.

De acordo com o Ercas o plano está alinhado com a política desenvolvida pelo programa nacional de reabilitação de áreas centrais do Ministério das Cidades, com as três instâncias do governo: união, estado e município e, com a Unesco, que participou com contratação de consultores para desenvolver estudos, diagnósticos e análises para a região.

A realização da ultima câmara temática acontecerá em 11 de dezembro, quando será apresentada as preposições para o centro antigo com o que precisa ser executado. Estima-se que isso ocorra em até quatro anos.

Um comentário:

Tati Lima disse...

Sugestões de links e de vídeo para esta matéria:
http://www.youtube.com/watch?v=hW8HnOUmI8s&feature=player_embedded
http://ilovepelourinho.blogspot.com/2009/09/carta-abera-do-presidente-da-acopelo.html
http://www.cidades.gov.br/
http://www.brasilia.unesco.org/

Organizações Sociais do Centro Histórico de Salvador